Filtre Por Categoria
Filtre por Categorias

Como estudar para o Enem? Confira o guia completo!

como estudar para o Enem

Se você deseja garantir a tão sonhada vaga em uma faculdade, saiba que é extremamente importante aprender como estudar para o Enem da melhor forma. Entender como montar um cronograma de estudos pode fazer com que você saia na frente da concorrência no grande dia.

Para isso, existem algumas técnicas para estudar de maneira eficaz — e é fundamental segui-los para ter um bom aproveitamento no exame. Além do mais, para garantir um bom desempenho, é necessário conhecer a estrutura da prova e suas particularidades e, ainda, quais são os conteúdos que costumam cair com mais frequência.

Ficou curioso a respeito desse assunto? Então, continue a leitura e confira agora o nosso guia completo sobre como estudar para o Enem. Nesse artigo, iremos abordar:

  1. Estrutura da prova;
  2. Áreas de conhecimento:
    1. Conteúdos requisitados;
    2. Dicas para uma redação nota 1000.
  3. Cronograma de estudos:
    1. Faça uma tabela de acompanhamento;
    2. Defina as prioridades;
    3. Separe horários para os estudos;
    4. Programe os descansos.
  4. Dicas para melhorar o aprendizado:
    1. Escolha uma metodologia de estudo;
    2. Faça simulados;
    3. Faça resumos e exercícios;
    4. Prepare-se psicologicamente.

 

Estrutura da prova

O Enem — Exame Nacional do Ensino Médio — é uma prova aplicada todos os anos para avaliar a qualidade do Ensino Médio no país. Realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), o exame também serve para todos que desejam conseguir uma vaga nas faculdades e universidades públicas do Brasil.

O Enem é realizado em dois fins de semana consecutivos e, em cada domingo, é preciso responder um total de 90 questões. O primeiro dia de prova é reservado para as Ciências Humanas, Linguagens e Códigos e a redação. No segundo dia, é a vez da Matemática e das Ciências da Natureza. Cada área de conhecimento tem 45 questões, cujos temas são contextualizados por meio dos enunciados.

No primeiro domingo, a prova tem duração de cinco horas e meia (30 minutos a mais devido ao tempo necessário para responder as 90 questões e também desenvolver a redação), enquanto no segundo dia de exame, os candidatos têm cinco horas para responder as 90 questões.

O Enem apresenta um conteúdo baseado nas disciplinas dos últimos anos escolares e abrange quatro áreas de conhecimento - Matemática e suas tecnologias; Ciências Humanas e suas tecnologias; Linguagens, códigos e suas tecnologias; Ciências da natureza e suas tecnologias; além da redação dissertativa-argumentativa, de ordem classificatória.

Todas as 180 questões são de múltipla escolha e apresentam cinco opções de resposta objetiva, sendo que elas podem contemplar tanto uma matéria quanto mais de uma disciplina.

Os testes são corrigidos de acordo com a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Essa metodologia premia a coerência dos acertos, o que, na prática, significa que um aluno pode ter o mesmo número de acertos de outro, mas as notas serem diferentes. Se o candidato acertar questões mais difíceis, sem ter acertado as mais fáceis, pode ter uma nota menor do que quem respondeu corretamente as mais fáceis.

Em ambos os dias do exame, o caderno de provas é composto pelas seguintes partes:

  • Capa: nela contém tudo o que diz respeito ao Enem, que constitui o código de barras, a quantidade de questões e suas respectivas divisões, as instruções de preenchimento do cartão-resposta, a cor determinada para o estudante e a frase que identifica a caligrafia;
  • Dados pessoais: nesse campo constam todas as informações sobre o candidato, a fim de evitar fraudes ou trocas das provas. Nesse momento, verifique se as informações estão corretas. Caso exista algum erro, você deve notificar o fiscal responsável pela sala para solucionar o problema o quanto antes;
  • Cor: os cadernos do Enem apresentam-se em quatro cores diferentes, assim, você deve assinalar a cor da sua prova no papel de resposta. Todas as questões do exame são as mesmas para todos, porém elas se apresentam em ordens diferentes em cada tipo de prova, para evitar a famosa "cola";
  • Frase: cada caderno apresenta uma frase na capa. No papel de resposta, você deve transcrever o texto para a comparação da caligrafia, inclusive da redação. Isso impede que um indivíduo faça o exame no lugar de outra pessoa ou, ainda, que os cadernos sejam trocados.
  • Cartão de resposta: serve para que você marque as alternativas escolhidas. Aqui, deve ser evitada ao máximo a rasura, pois a questão poderá ser automaticamente anulada se houveralgum erro que dificulte a leitura do corretor. Assim, os círculos devem ser completamente preenchidos, com caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente;
  • Folha de redação: esse espaço deve conter o corpo do texto, ou seja, a dissertação escrita pelo participante, a fim de que a banca do exame corrija o texto elaborado.

No Enem, a redação é a parte responsável por avaliar a capacidade redacional do candidato. E o texto deve ser transcrito no papel específico para esse fim, que contém um código de barras para identificação.

A redação não requer a elaboração de um título, porém, se o estudante preferir acrescentá-lo, ele contará como uma linha. Para desenvolvê-la, o estudante contará com  um material de apoio, contendo textos, fotos, mapas, charges, infográficos, quadros, entre outros.

Importante: caso a redação seja entregue com até sete linhas ou em branco, o candidato será automaticamente desclassificado e receberá a nota zero. Também vale destacar que o texto deve apresentar, no máximo, 30 linhas

Por fim, os assuntos requisitados pela redação são sempre em formato de "desafios", e o participante deve propor um plano de intervenção com as possíveis soluções para o problema.

 

Áreas de conhecimento

As provas são divididas em quatro áreas de conhecimento e cada uma contém o total de 45 questões. Porém, o candidato deve ter atenção com a parte de Língua Estrangeira, que apresenta cinco questões duplicadas na prova de Linguagens e Códigos.

Nesse caso, o estudante deve responder apenas as cinco perguntas do idioma escolhido, Inglês ou Espanhol, e o caderno de resposta da outra língua que não tiver sido selecionada deve ser deixado em branco.

Assim, as questões são apresentadas da seguinte maneira:

  • Linguagens e Códigos: do número um ao 45;
  • Ciências Humanas: do número 46 ao 90;
  • Ciências da Natureza: do número 91 ao 135;
  • Matemática: do número 136 ao 180.

A folha de redação encontra-se ao final do caderno do primeiro dia de prova. Você deve manter-se atento, pois existe somente uma folha para o rascunho do texto a ser desenvolvido.

Confira, a seguir, como são divididas as áreas de conhecimento do Enem e quais são as suas respectivas disciplinas:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Sociologia e Filosofia;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Português, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Literatura, Educação Física, Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Física, Química e Biologia;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Redação.

 

Conteúdos requisitados

No decorrer da prova, você encontrará quadros, histórias e gráficos que ilustrarão os assuntos das questões. Isso acontece porque uma das principais características do Enem é exigir a capacidade de interpretação do estudante.

Além disso, as questões do exame apresentam diferentes formatos e gêneros de linguagem, como textos, reportagens, trechos de músicas, poemas, anúncios publicitários, tiras em quadrinhos, entre outros. Portanto, é fundamental desenvolver o hábito da leitura e da escrita para que você consiga reconhecer e diferenciar as características de cada tipo de texto. Com isso, você também conseguirá ampliar seu  vocabulário e terá a chance de enriquecer seu conhecimento sobre os mais variados assuntos. Isso contribui, inclusive, para o aumento da concentração e da eficiência para ler e reler as perguntas no momento da prova. Sem contar que elaboração da redação será muito mais ágil, uma vez que você já terá desenvolvido esse tipo de habilidade.

Além das competências exigidas, é fundamental saber quais são os conteúdos mais cobrados de cada disciplina. A seguir, confira os principais:

  • Matemática: Operações com conjuntos numéricos, Razão e Proporção, Fatoração, Porcentagem e Juros, Sequências e Progressões, Estatística e Probabilidade, Gráficos, Funções, Equações, Geometria e Álgebra;
  • Física: Grandezas, Vetores, Mecânica, Força, Inércia e Movimento, Energia, Elétrica, Fenômenos magnéticos, Ondulatória, Óptica e Termodinâmica;
  • Química: Transformações químicas, Química Orgânica, Equilíbrio químico, Química no cotidiano e Energia;
  • Biologia: Fisilogia celular, Genética, Microbiologia, Ecologia, Embriologia, Anatomia, Evolução, Aspectos sociais, Biotecnologia e Sustentabilidade;
  • Geografia: Geografia Demográfica, Geografia Agrária, Geopolítica, Globalização, Migração, Urbanização, Economia, Recursos naturais e Meio Ambiente e representações espaciais;
  • História: América Colonial, Independência na América, Europa Moderna, Brasil Império, Revoluções e sistemas totalitários do século XX e Idade contemporânea;
  • Filosofia: Filosofia geral, Democracia e Cidadania;
  • Sociologia: Cultura, Trabalho, Ideologia, movimentos sociais e telecomunicações;
  • Português: Gêneros textuais, linguagem corporal, Arte, Literatura, aspectos e recursos linguísticos, interpretação textual, análise de discurso e tecnologias da comunicação e informação.

Como o exame é corrigido de acordo com a metodologia TRI, a nota final não corresponde apenas ao número de acertos nas provas objetivas, como explicado anteriormente.

Já na correção da redação, consideram-se as cinco competências indicadas na cartilha do participante do Enem:

  • Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa;
  • Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa;
  • Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  • Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  • Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Sendo que cada uma delas vale até 200 pontos e a nota máxima da redação corresponde a mil pontos.

Tão importante quanto conhecer as competências avaliadas pela banca examinadora do Enem é saber quais são os critérios que podem zerar a redação. De acordo com a cartilha do participante do Enem, serão desclassificados automaticamente os estudantes que cometerem as seguintes falhas:

  • Fuga total ao tema;
  • Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;
  • Extensão de até 7 linhas;
  • Cópia integral de texto(s) motivador(es) da Proposta de Redação e/ou de texto(s) motivador(es) apresentado(s) no Caderno de Questões;
  • Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação (tais como números ou sinais gráficos fora do texto);
  • Parte deliberadamente desconectada do tema proposto;
  • Assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;
  • Texto predominantemente em língua estrangeira;
  • Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

 

Dicas para uma redação nota 1000

Por ser uma das formas de desclassificação do Enem, a redação ainda assusta muitos candidatos. Mas saiba que não é necessário ter receio. Mantendo-se atento a algumas técnicas, é possível alcançar um bom resultado.

Para tirar uma boa nota nessa etapa, é fundamental se empenhar e treinar a capacidade de argumentação. Para isso, você precisa se manter informado e escrever com frequência sobre diversos assuntos, principalmente sobre temas da atualidade que envolvam questões sociais.

Busque também as provas anteriores e faça as redações solicitadas em cada ano. E lembre-se de que o respeito ao tema, à norma culta, à coerência e à coesão são pontos essenciais para elaborar um bom texto.

Também é interessante solicitar que algum professor e até colegas corrijam as suas redações, para que você conheça seus erros mais frequentes e os corrija.

 

Cronograma de estudos

É imprescindível planejar um bom cronograma de estudos para o Enem. Essa atitude contribui para que o candidato tenha familiaridade com a prova, sabendo quais são os conteúdos mais requisitados, como funciona o seu formato, quais são as competências exigidas, além de aumentar ainda mais a confiança nos dias do exame.

Primeiramente, é interessante que você descubra qual é o estilo de aprendizagem que funciona para as suas necessidades. Algumas pessoas conseguem assimilar melhor os conhecimentos por meio de mapas mentais, por exemplo. Por isso, é fundamental entender qual é o método de estudo que mais funciona para o seu caso.

A seguir, confira algumas dicas para auxiliar no planejamento do seu cronograma de estudos para o Enem.

 

Faça uma tabela de acompanhamento

Após listar os conteúdos exigidos em cada área de conhecimento, chega o momento de organizar as informações para garantir que você terá tempo para estudar tudo ao longo do ano. Para isso, é recomendável criar uma tabela de acompanhamento, contendo tudo o que diz respeito à sua rotina, além de determinar dias e horários específicos para estudar para o Enem.

Utilizar uma tabela é interessante, pois ela permitirá visualizar todas as tarefas que ocupam espaço na sua semana e identificar quanto tempo cada uma delas demanda. Portanto, após listar todos os seus compromissos, reserve um horário exclusivamente para os estudos. Isso evitará atrasos no cronograma, fazendo com que você se sinta mais confiante.

 

Defina as prioridades

Sempre tem uma disciplina que é mais facilmente assimilada pelo estudante e outra que é mais difícil. Desse modo, na hora de planejar os seus horários, liste as disciplinas que você tem mais dificuldade de aprender e verifique quais fazem parte dos conteúdos mais cobrados no exame, pois eles deverão ser priorizados. Isso significa que você deverá dedicar mais tempo de estudo a essas matérias.

Outra dica fundamental é reservar um período específico para revisar os conteúdos estudados, a fim de medir o conhecimento e verificar se ainda restam dúvidas.

É importante destacar que isso só será possível por meio da determinação de metas claras e objetivas, seguindo um cronograma de estudos com disciplina. Atenção também aos imprevistos, pois eles são passíveis de ocorrer nesse momento. O importante é seguir o planejamento o máximo possível para evitar atrasos ou o acúmulo dos conteúdos.

 

Separe horários para os estudos

Para que o seu aprendizado seja efetivo, é preciso respeitar os horários resrevados para estudar para o Enem e para as demais atividades. Procure manter um sono regular, descansar  no intervalo dos estudos e praticar algum exercício físico, pois a falta de equilíbrio pode atrapalhar seu desempenho no exame. Para isso, garantir sua produtividade durante a preparação para o Enem, escolha uma técnica de estudo e siga o seu cronograma com responsabilidade.

 

Programe os descansos

Mesmo que você se esforce bastante para conseguir um bom resultado no Enem, saiba que o descanso é fundamental para manter o foco durante os estudos e assimilar os conteúdos. Para isso, é importante que você reserve tempo para o lazer. Nos momentos de descanso, o ideal é realizar atividades que te relaxem.

 

Dicas para melhorar o aprendizado

Na hora de planejar os estudos, é comum que muitos estudantes percam-se diante de tantas informações que precisam absorver. Entretanto, existem algumas dicas que podem ajudar a melhorar o aprendizado e otimizar ainda mais a compreensão dos conhecimentos requisitados pelo Enem. Confira a seguir quais são:

 

Escolha uma metodologia de estudo

Para que o tempo reservado para os estudos seja utilizado com eficiência, é importante descobrir a metodologia mais adequada para você. O melhor método de estudo é o que permite que você fixe os conteúdos, o que você poderá comprovar por meio dos simulados. A metodologia mais eficaz também pode variar em função da disciplina. 

 

Faça simulados

Para conhecer o estilo do Enem, é fundamental fazer simulados utilizando as provas dos anos anteriores. Mas, lembre-se que, devido à mudança de governo, a próxima edição do exame pode ter um encaminhamento diferente dos últimos anos.

 

Faça resumos e exercícios

Elaborar resumos dos conteúdos estudados de Humanas é uma ótima maneira para fixar as matérias. Quando fizer isso, use suas próprias palavras para registrar as matérias e organize tudo de forma prática, de preferência o mais visual possível. Isso poupará muito do seu tempo, evitando que você precise retornar integralmente um tema específico já estudado.

No caso dos conteúdos de Matemática, Química e Física, o indicado é fazer muitos exercícios para testar seu conhecimento em diferentes níveis de complexidade.

 

Prepare-se psicologicamente

Diante de tantas obrigações que um estudo sério para o Enem exige, é bastante comum que os estudantes sintam-se sobrecarregados ou, ainda, pressionados com a quantidade de conteúdos que devem assimilar. Por isso, é fundamental dar uma atenção redobrada ao fator psicológico.

Nesse momento, é essencial contar com uma alimentação equilibrada, ter boas noites de sono e descansar para que a mente recomponha-se. Participar de programas de lazer com a família e com os amigos também é uma ótima forma de relaxar diante do empenho que a preparação para o exame exige.

Por fim, mantenha a confiança em si mesmo e tenha a certeza de que você fez o melhor para conquistar  um bom resultado. Certamente, isso tudo não terá sido em vão!

 

Agora que você já sabe como estudar para o Enem de forma eficaz, certamente será muito mais fácil criar um cronograma para ter um bom rendimento no dia do exame, não é mesmo? Para te ajudar ainda mais, fique atento às nossas dicas e, se possível, considere também matricular-se em um cursinho. Assim, você  aumentará suas chances de garantir a tão desejada vaga!

Gostou do nosso conteúdo? Então, compartilhe este post em suas redes sociais para que essas valiosas informações cheguem cada vez mais a pessoas interessadas no assunto. Até a próxima!

Conheça mais o Curso Etapa

 

Como escolher a profissão correta?
5 dicas para estudar Matemática para o Enem
Posts relacionados
Saiba mais sobre os tipos de redação dos vestibulares
Saiba mais sobre os tipos de redação dos vestibulares
5 dicas para estudar Matemática para o Enem
5 dicas para estudar Matemática para o Enem

Comment

Cadastre-se no Blog

Cadastre-se no blog