MATRÍCULAS

Receba informações

Internacional

Aprovações Internacionais 2021: Gabrielle Lima Balestra

Por Colégio Etapa em 02/08/2021
Gabrielle Lima Balestra conquistou aprovações em universidades da França e dos Estados Unidos.

Case Western Reserve University, Fordham University, Georgetown University, George Washington University, Sciences Po e Université de Lille

Gabrielle Lima Balestra iniciou sua trajetória acadêmica no Colégio em 2018, após decidir que queria cursar a graduação em outro país. “Eu escolhi o Etapa justamente por conta da preparação para os processos de admissão das universidades do exterior, considerando a oferta do Advanced Placement (AP) e, ainda, as orientações fornecidas pelo Setor Internacional”, relembra.

A ex-aluna do Colégio Etapa conta que o interesse por estudar fora surgiu ainda no Ensino Fundamental, quando ela alcançou os primeiros resultados em competições científicas. “Durante esses eventos, eu tive a oportunidade de conhecer pessoas do mundo todo, novas perspectivas sobre o aprendizado das disciplinas e diferentes pontos de vista sobre os mais variados temas. Com isso, compreendi que conviver com essa diversidade também seria importante para o meu desenvolvimento no ensino superior”, afirma.

Já no Colégio, Gabrielle se interessou imediatamente pelo Etapa Model United Nations (EMUN), atividade extracurricular na qual os alunos discutem temas contemporâneos e de importância histórica nos moldes das reuniões da Organização das Nações Unidas (ONU). “Foi no EMUN que eu descobri o quanto gosto de política internacional, o que contribuiu para a minha decisão de seguir carreira na diplomacia, representando os interesses do Brasil junto à comunidade de nações”, declara.

“Além disso, pude desenvolver competências humanas e comportamentais, como a oratória, o trabalho em equipe, a capacidade de argumentação e ainda aprendi a compreender e respeitar opiniões contrárias às minhas”, completa.

Fora da escola, a jovem se engajou no Curso Ipê, iniciativa criada por ela e alguns colegas, cujo intuito é oferecer educação gratuita aos estudantes que cursam o Ensino Médio em escolas públicas ou a Educação para Jovens e Adultos (EJA). O projeto ainda conta com um serviço de orientação profissional e preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Esse projeto diz muito sobre mim e sobre o que eu acredito. Para mim, o caminho para construir uma sociedade melhor passa pela educação e é muito gratificante ter participado disso”, afirma.

Paralelamente, Gabrielle se dedicou ao estudo de idiomas – atualmente, ela é proficiente em alemão, espanhol, francês e inglês, graças aos intercâmbios realizados durante as férias escolares e, ainda, às aulas das quais ela participava.

Na 3ª série do Ensino Médio, a jovem concentrou esforços nos processos de seleção das universidades do exterior, desde a elaboração da college list, passando pela junção dos documentos que compõem a candidatura até a preparação para as entrevistas.

“Nesse sentido, o Setor Internacional foi crucial para a escolha das instituições que tinham mais a ver com o meu perfil. Ao longo da pesquisa, fui informada que a Sciences Po, por exemplo, oferece especialização em estudos sobre a América Latina, o que faz muito sentido para os meus interesses profissionais. Sem dúvidas, contar com uma orientação especializada na escola fez toda a diferença para a conquista das minhas aprovações”, diz.

Além disso, Gabrielle participou das aulas do currículo AP e ainda fez testes como o TOEFL e o DELF – que avalia a proficiência em francês. “Em todos os casos, são exames que exigem domínio por parte do estudante, então é importante reler provas antigas e fazer simulados que o ajudarão a ter mais segurança”, aconselha.

Ademais, a jovem afirma que o aspecto mais desafiador de sua candidatura foi a produção das essays¹. “Os temas das redações são complexos e exigem um exercício de autoconhecimento, de modo que eu troquei muitas informações com a minha família, amigos e os college counselors² do Colégio Etapa para traçar a melhor estratégia”, comenta.

As entrevistas também foram outro fator decisivo para as aprovações de Gabrielle, especialmente nas instituições de ensino francesas. Nesses casos, todo o processo de candidatura para as universidades públicas é intermediado pela Campus France, entidade governamental de fomento ao ensino superior francês.

“Por se tratar de uma Grande École, ou seja, uma universidade mais exigente que as demais, o processo de seleção da Sciences Po incluiu uma entrevista com os docentes da instituição, os quais testaram meus conhecimentos sobre diversos assuntos, incluindo a instabilidade política do Marrocos e a crise econômica vivida pela Argentina, por exemplo”, relembra.

Por fim, o desempenho de Gabrielle Lima Balestra em todas as etapas do processo chamou a atenção do departamento de admissões da Sciences Po. A jovem é a primeira aluna do Colégio Etapa a conquistar uma aprovação nessa instituição, reconhecida mundialmente pela formação de pensadores e líderes políticos, como os presidentes franceses Emmanuel Macron (2017-atualmente) e François Hollande (2012-2017).

Além da aprovação inédita na Sciences Po, onde escolheu estudar Política e Governo, ela também foi contemplada com a prestigiosa bolsa Émile Boutmy. Financiado por empresas e filantropos franceses, o incentivo é destinado aos estudantes internacionais que residem em países fora da União Europeia e atendem aos requisitos exigidos pelo programa. No caso de Gabrielle, a bolsa cobrirá todos os custos relacionados ao curso de graduação.

E a jovem ainda foi aceita em outras cinco universidades localizadas nos Estados Unidos e na França. Feliz com os resultados dos seus esforços, a caloura da Sciences Po faz planos para o futuro. “Pretendo retornar ao Brasil para ingressar na carreira diplomática. Minha meta é impactar positivamente o trabalho do Itamaraty por meio dos conhecimentos adquiridos durante a graduação”, conclui.

 

Gabrielle Lima Balestra

 

Sciences Po

A Sciences Po ocupa o segundo lugar no ranking das melhores universidades do mundo voltadas ao estudo da Política e das Relações Internacionais, segundo o QS World University Rankings.

O processo de internacionalização da instituição tem atraído estudantes de diversas nacionalidades, constituindo uma comunidade acadêmica multicultural. “Para mim, a maior vantagem da Sciences Po é a possibilidade de me especializar em temas relacionados à América Latina e, graças a isso, eu poderei me reconhecer dentro de uma perspectiva latino-americana e ainda estudar outros assuntos geopolíticos, sempre considerando a nossa realidade”, explica Gabrielle.

 

¹Essays: redações que fazem parte dos requisitos dos processos de candidatura do exterior, principalmente das faculdades e universidades dos Estados Unidos.

²College counselors: orientadores educacionais.

 

Veja também: 

 

Conheça mais sobre o Colégio Etapa

Artigos Recomendados

Cadastre-se e fique sabendo das novidades